A briga do ano! Polo x Argo. Qual o melhor?

Antecipamos o duelo entre o maior lançamento do ano da Volkswagen e a grande novidade da Fiat

Fotos: Bruno Guerreiro e Divulgação | Texto: Luiz Guerrero

Não! Ainda não colocamos Fiat Argo e Volkswagen Polo lado a lado em um comparativo na pista de teste, iniciativa que tomaremos a partir de setembro/outubro, quando o VW for lançado no Brasil. Mas as informações que reunimos sobre os dois carros são mais que suficientes para montar a reportagem que você vê a seguir. Nela, analisamos seis itens de cada carro, incluindo as impressões ao dirigir, para antecipar qual compacto merecerá sua atenção daqui a alguns meses.

DESIGN

Polo x Argo

Fiat Argo e VW Polo são carros atraentes. Mas o design do Polo é mais bem-resolvido. Repare, por exemplo, na junção das portas com o teto de ambos os modelos: no VW, o recorte das portas acompanha a moldura das janelas e fica oculto; no Fiat, a linha é aparente, como uma cicatriz na carroceria. A dianteira de ambos segue o que as fábricas chamam de identidade visual da marca. E o que incomoda na dianteira do Argo é o excesso de elementos. A Fiat diz que todos os elementos de estilo são funcionais para favorecer a aerodinâmica, mas, nesse caso, menos ficou melhor que mais: formada por grade menos agressiva, a dianteira do Polo agrada mais ao olhar.

No conjunto, o Argo conta com soluções já vistas em outros modelos: o perfil traseiro lembra o do Gol e as lanternas bipartidas foram inspiradas nas do Alfa Romeo Giuletta. O design do Polo tem mais personalidade – o vinco que contorna a carroceria, por exemplo, resulta em belo efeito estético e deve se tornar marca registrada do carro. Mais simples, tende a cansar menos com o tempo.

Polo x Argo

ACABAMENTO E ARGONOMIA

A Fiat nunca tinha se esmerado tanto no acabamento de um carro como no Argo. Aplicou superfícies macias nos segmentos que podem estar em contato com o corpo dos ocupantes, preocupou-se em revestir os comandos de refrigeração com borracha aderente e agradável ao toque, os encaixes são bem feitos e os materiais têm excelente qualidade percebida. A mesma percepção de qualidade você encontrará no Polo: materiais de textura agradável, encaixes milimetricamente ajustados e soluções que inspiram o bem-estar a bordo. Mas na configuração interna, o Polo sai na frente com o cluster integrado à tela multimídia de 8" – a Fiat adotou o padrão convencional do tablet flutuante no painel. Em ergonomia, o Polo também é melhor: os bancos são mais envolventes e permitem que você dirija em posição mais baixa; no Fiat o ajuste se resume a duas posições: alta e mais alta.

Polo x Argo

CONSTRUÇÃO

O mesmo capricho que a Fiat dedicou ao interior do Argo pode ser visto na construção do carro. Não há pontos de solda aparentes, como na tampa do porta-malas e nas junções das portas – que, a propósito, receberam dupla borracha de vedação, solução que ajuda no conforto acústico e que, até aqui, era exclusiva de modelos mais caros. Os vãos da carroceria são uniformes e a qualidade da pintura é excelente. Cuidados também verificados no Polo que nesta nova geração recebeu a mesma atenção que a VW dedica aos seus modelos mais caros. Ambos são moldados em chapas de aço mais leves e mais resistentes.

TECNOLOGIA

Polo x Argo

Neste item, o Polo se sobressai por algumas soluções: ele tem plataforma mais avançada que a do Argo, emprega turbo em uma das versões do motor três cilindros e a transmissão (mesmo com a antiga caixa Tiptronic a ser usada no Brasil) é mais eficiente. O Argo é erguido sobre a base do Punto que passou a receber tipos de aço mais leve e menos sujeito a torção. Mas a MQB A0 na qual se assenta o Polo é uma das grandes referências da indústria. O três cilindros Firefly da Fiat é econômico e oferece torque razoável, mas não há opção de turbo, como no Polo. E a transmissão Tiptronic é mais rápida que a automática empregada em algumas versões do Argo. A caixa manual da VW é, do mesmo modo, superior à do Argo em precisão, qualidade dos engates e no curso mais curto da alavanca.

O Polo também se sobressai por oferecer, como opcional, o cluster digital que pode ser personalizado e uma central de multimídia mais completa. Obviamente isso tudo terá um preço – que, prevê-se, não será baixo.

ESPAÇO

A vantagem é do Polo. Ligeiramente maior no comprimento (4,05 m x 3,99 m) e na distância entre-eixos (2,56 x 2,52) e também na largura (1,75 x 1,72), o VW abriga melhor cinco ocupantes. Como no Argo, o assoalho é plano e quem viaja atrás tem maior área para pernas e cabeça. O porta-malas do Polo tem 51 litros a mais que o do Argo (351 litros x 300 litros).

Polo x Argo

AO VOLANTE

No primeiro contato com o Polo nacional pudemos ver a tabela entre o 1.0 TSI de 128 cv com o câmbio Tiptronic, configuração escolhida pela VW para o Brasil, enquanto lá fora ele terá o DSG. Junto dessa caixa, o Polo se desenvolve bem, tem bom fôlego e pegada forte em baixas rotações. Só que esse motor é tão bom que seria legal vê-lo justamente junto da caixa DSG, mais rápida nas trocas. Vale lembrar que a combinação entre esse câmbio e o 1.0 TSI (em uma configuração de 115 cv) foi o alvo dos nossos maiores elogios após a primeira avaliação do Polo, no começo do ano, na África do Sul. 

Por conta, em grande medida, da excelência da plataforma, o compacto também surpreendeu pela capacidade de fazer curvas e pela solidez. Mesmo sem saber o peso total do carro – veículos com plataforma MQB costumam ser mais leves do que os concorrentes – dá pra estimar que ele acelera de 0 a 100 km/ em um tempo próximo dos 11 segundos. 

 O Argo, na versão 1.3 de 109 cv, do mesmo modo agradou pela estabilidade, mas nem tanto pelo desempenho. Ambos têm a mesma configuração de suspensão (independente na dianteira e eixo de torção na traseira), mas o Polo tem rodar mais refinado em função da plataforma mais moderna.

Polo x Argo

CONCLUSÃO

O Polo é superior ao Argo. Mas o que irá definir a disputa – e determinar sua escolha – será o preço da etiqueta e os custos de manutenção. O Argo mais simples parte de R$ 46.800 e pode chegar a R$ 70.600. Ainda é cedo para estimar o preço do Polo, mas a tendência é que custará mais caro. A nossa aposta para a versão Comfortline fica na casa do R$ 65 mil.

Polo x Argo

Compartilhe esse conteúdo



Comentários