Avaliação: Nissan Kicks S

Um chute no traseiro dos preços descabidos

Fotos: Divulgação | Texto: João Anacleto

Não devo ser o único que me incomodo em ver um SUV compacto com preços iniciais em R$ 85 mil. Apesar do porte superior ao de veículos compactos, o aço não está tão caro assim para um carro com a mesma plataforma de outro custar 40% a mais.  E quando você entra em um desses SUVs de entrada se depara com... Nada, ou quase nada! Daqueles equipamentos da propaganda na TV, só a carroceria continua igualzinha.

Pois bem, se for para fazer isso, que baixem o preço. E parece que tem gente na Nissan que pensa igual a mim. Sim, o Kicks S com câmbio manual é um chute no traseiro dos preços descabidos. A versão de entrada com câmbio manual sai por R$ 70.500 e este é um preço mais do que justo para um SUV de entrada.

MANUAL 5 MARCHAS

A nova versão economiza em bastante coisa, mas mantém a honestidade. Por fora você não encontrará os faróis de neblina, nem as belas rodas de liga-leve dos Kicks SV e SL, e sim calotas cobrindo rodas de aço de 16”. Também não há opção de se pintar o teto com alguma cor diferente, nem há sensor de estacionamento nos para-choques. Mas, quer saber? À primeira vista esse empobrecimento não desagrada tanto.

E lá dentro a história tembém pode ser contada sem muitas reclamações. Com uma diferença de R$ 24.400 frente ao Kicks SL com câmbio CVT. Os bancos continuam extremamente confortáveis e, à exceção de alguns botões, o volante em  si continua o mesmo. O acabamento mantém os plásticos nas portas, com um pequeno acréscimo de tecido, e os materiais usados para compor o painel não merecem desagravo.

Já o painel de instrumentos se difere das outras versões, ele não conta com aquele cluster de TFT da SV e SL, mas sim com uma peça mais simples com conta-giros analógico e cluster digital entre os instrumentos. A central multimídia também não está por aqui, em vez dela há um rádio com MP3 Player e Bluetooth, nem as câmeras 360 graus, obviamente.

O Kicks S mantém o 1.6 16V de 114 cv sob o capô e mostra, entre outras coisas, a valentia desse conjunto quando aliado a um câmbio mecânico de 5 marchas, sem a tranquilidade excessiva do CVT. Os bons engates da transmissão e a suavidade do motor mantém o Kicks entre os SUVs compactos mais equilibrados à venda. Como opcional ele traz, por R$ 1.200, controle de tração e estabilidade, além do assistente de partida em rampa. Por R$ 79.800 você coloca o câmbio CVT, rodas de liga-leve aro 16” e os faróis de neblina. Mas sem a central multimídia, ele se junta aos outros SUVs que cobram muito  para oferecer menos do que deveria.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários